(47) 3085-9092 / (47) 99616-9192 [email protected]

Acne

A acne é uma doença de pele comum, acometendo 80% dos adolescentes. Isto ocorre porque na adolescência há um aumento na produção de andrógenos, como a testosterona, que atuam aumentando a secreção de sebo pelas glândulas sebáceas. Após os 25 anos, 20% das mulheres e 5% dos homens podem apresentar acne.

A acne é causada por vários fatores:

  • Predisposição familiar;
  • Excesso na produção de sebo;
  • Proliferação de bactérias, como o Cutibacterium acnes (antigamente chamado de Propionibacterium acnes);
  • Obstrução e inflamação dos poros da pele, constituídos por um folículo piloso e uma glândula sebácea anexa.

Caracteriza-se pela presença de lesões não inflamatórias, comedões abertos (“cravos pretos”) e fechados (“cravos amarelos”) e lesões inflamatórias, pápulas, pústulas, cistos e nódulos (populares “espinhas”). As lesões inflamadas ocorrem devido ao excesso de produção de sebo e a proliferação do Cutibacterium acnes.

As lesões ocorrem nos locais em que há maior quantidade de folículos pilosos e glândulas sebáceas, como: face, tórax e dorso (“costas”).

O aumento da produção de sebo pelas glândulas sebáceas causa oclusão do óstio folicular (2,3 e 4). O excesso de sebo leva a proliferação da bactéria Cutibacterium acnes, causando inflamação do folículo pilossebáceo (5,6,7). Ruptura do folículo, liberando secreção (8).

A acne pode ser classificada em:

  • Grau I: cravos, sem lesões inflamatórias;
  • Grau II: cravos e poucas lesões inflamatórias, como: pápulas e pústulas;
  • Grau III: cravos e maior quantidade de lesões inflamadas: pápulas, pústulas e cistos;
  • Grau IV: cravos e lesões muito inflamadas e dolorosas: pápulas, pústulas, cistos e nódulos. Também chamada de acne conglobata;
  • Grau V: nódulos e cistos que aparecem de forma rápida e ulceram, acompanhados de febre, dor no corpo e mal estar. Forma grave de acne, também conhecida como acne fulminans ou maligna.

Diagnóstico:

Em casos especiais, necessita-se de exames laboratoriais e de imagem, a exemplo de mulheres com alterações menstruais e excesso de pelos no corpo.

Tratamento:

Deve ser dirigido as suas causas, como: excesso na produção de sebo e proliferação do Cutibacterium acnes.

O grau da acne irá determinar se o tratamento será tópico ou associado ao tratamento oral.

Tratamentos tópicos, exemplos: sabonetes, esfoliantes e loções para reduzir a oleosidade e a secreção de sebo; peróxido de benzoíla; retinóides e antibióticos tópicos.

Tratamentos orais:

  • Antibióticos orais, em casos de acne inflamatória;
  • Contraceptivos hormonais, funcionam como adjuvantes ao tratamento em alguns casos de acne em mulheres no período fértil;
  • Espironolactona, para o tratamento da acne na mulher adulta;
  • Isotretinoína oral, indicada em casos graves e refratários de acne. SAIBA MAIS

Fonte:

Dawson AL, Dellavalle RP. Acne vulgaris. BMJ. May 8 2013;346:f2634.
Kligman AM. Postadolescent acne in women. Cutis. Jul 1991;48(1):75-7.
Strauss JS, Krowchuk DP, Leyden JJ, et al. Guidelines of care for acne vulgaris management. J Am Acad Dermatol. Apr 2007;56(4):651-63.

Quer saber sobre o uso da Isotretinoína Oral (Roacutan®) no tratamento da Acne? Assista ao vídeo da Dra. Juliana Viesi no YouTube @viesidermatologia:

Telefones

(47) 3085-9092 /(47) 99616-9192

Horário de Atendimento

Segunda à Sexta: 08:00 às 20:00 horas

Copyright © 2021 - Viesi Dermatologia - Todos os direitos reservados
Olá